Jogos de tabuleiro como exercício para a mente - KinesioSport

Jogos de tabuleiro como exercício para a mente

Com a pandemia de coronavírus, muitas pessoas tiveram mais tempo para ficar em casa, pelo menos no início da disseminação da doença. Com isso, o tempo livre precisou ser preenchido e algumas atividades começaram a fazer parte do seu dia a dia. Há aqueles que aproveitaram para colocar as leituras em dia, outros começaram a exercitar o corpo, e há também os que começaram a se interessar por jogos de tabuleiro – o que não deixa de ser uma forma de exercício, mas da mente.

De acordo com levantamento da Pesquisa Game Brasil 2019, pelo menos 28% da população do país se diverte com jogos de tabuleiro, os chamados “boardgames”. Esse número também está próximo das que jogam cartas, que são 34%. O segmento representou 9,7% das vendas do setor de brinquedos, de um total de R$ 6,871 bilhões, em 2018. A indústria dos jogos analógicos como um todo também teve um crescimento de 7,5% no ano, como mostra levantamento da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq).

Para além do lúdico

Mas você sabia que os jogos de tabuleiro como o xadrez, por exemplo, ultrapassam a barreira do lúdico e podem auxiliar inclusive no tratamento de Alzheimer? Segundo um estudo do Instituto Nacional de Saúde, publicado há oito anos, atividades como o xadrez possibilitam a criação de uma “reserva cognitiva”. Isso é o que permite que o cérebro continue funcionando de maneira eficaz mesmo quando estiver danificado ou tiver alguma função interrompida.

E pra quem pensa que o xadrez é difícil, ou que não é acessível a todos, nós temos uma boa notícia! Conforme o Grande Mestre Internacional e heptacampeão brasileiro, Rafael Leitão, o xadrez é relativamente fácil de ser aprendido e as possibilidades de jogo são infinitas. “Atividades como xadrez, damas, palavras cruzadas e outros jogos de raciocínio são desafiadores e estimulantes, aumentam a interação social, reduzem o estresse e os efeitos do envelhecimento do cérebro”, aponta.

“Porém, todos esses benefícios dependem da frequência e variedade dos jogos, e das áreas cognitivas que são estimuladas. Por isso, arrume o tabuleiro, escolha seu oponente e derrote o Alzheimer”, ressalta Leitão. Além disso, os jogos podem ser uma ótima oportunidade para reunir as pessoas que convivem na mesma casa e que estão em isolamento social devido a pandemia.

Para quem quiser iniciar, o aprendizado está a um clique. Em plataformas como o YouTube há inúmeros vídeos, que ensinam desde os primeiros movimentos no tabuleiro até as famosas táticas para uma boa abertura.

E aí, que tal reunir a família e começar a praticar com os jogos de tabuleiro hoje mesmo?